Capítulo Onze: É complicado.

-É o Bernard. - Disse minha pequena Megan. Estava tão séria e preocupada.
-Bernard? O que tem Bernard?
-É preciso que você saiba uma coisa sobre ele.
-Diga, eu estou aqui. Você pode confiar em mim.
-Você sabe, ele é meu único irmão. Eu o amo tanto!
-Sim. E eu amo ele agora também.
-Lá em casa as coisas são tão difíceis, sabe? Ele quem me conforta.
-Difíceis como?
-Difíceis. É complicado.
-Você confia em mim?
-Minha mãe e meu pai não se amam mais, e brigam o tempo todo. E eles não se importam mais comigo e com o Bernard, sabe?
-Claro que se importam, eles são seus pais.
-Não se importam, Oliver.
-Isso te deixa triste.
-Muito.

Segurei na mão dela, para passar força.

-Eu só tenho Bernard. Se não fosse por ele, eu fugiria daquela casa. Eu odeio cada minuto que eu passo ali sem meu irmão.
-Bernard é um menino de ouro.
-Sim. Ele é tudo que eu tenho, e é por ele que nós não podemos mais ficar juntos.

Isso foi um balde de água fria.

-Como assim, não podemos ficar juntos?
-Eu te amo, Oliver.
-Bernard se opõe ao nosso relacionamento?
-Não, não é isso...ele só sofre. Calado.
-Por que ele sofre? Eu estou feliz, você está feliz. É isso que queremos.
-Bernard não consegue nos ver juntos.
-Ele está com ciúmes de você, é isso?
-Não, Oliver. De você.
-De mim?
-Bernard está apaixonado por você? Você é o Michael Pitt dele.

-... - Fiquei mudo por uns instantes. Por essa eu não esperava.

-Ele jamais admitiria, mas eu sei que ele está sofrendo e eu sou incapaz de seguir em frente com você machucando ele.
-Bernard é gay?
-Sim.
-Por que não me disseram antes?
-Não sentimos necessidade.
-Deviam ter falado.
-Nossos pais não sabem de Bernard. Somente eu...e é tão difícil pra ele.
-Eu posso falar com ele.
-Não sei se deveria.
-Eu devo.
-Ele ficaria pior.
-Eu não aguento mais o olhar triste dele, ao nos ver juntos.
-Conversaremos com ele, juntos.
-Não quero fazer nada que possa feri-lo. Bernard é sensível. Doce. Entre minha felicidade e a dele, eu escolho a dele.
-Ele não seria feliz te vendo triste pelos cantos.
-Eu não ficaria pelos cantos.
-Eu não represento nada pra você?
-Você é tudo pra mim, Ollie.
-E você é o que me faz ficar aqui.
-Mas eu superaria. Sempre fomos somente eu e Bernard até você aparecer.
-Mas eu apareci. E agora nós três estamos juntos.
-É complicado.
-Em casa nada está fácil. Augusto é infantil e me odeia. Minha mãe está sempre ausente. Não posso ficar sem você, anjo.
-O que fazer? Eu estou vivendo numa ilusão.
-Sonho.
-Sonho?
-Sonho.
-Não podemos conversar com ele lá em casa.
-Amanhã é sexta não é?
-Sim.
-Vamos ao Cereja&Capuccino.
-Eu te amo tanto!
-Eu também.

4 comentários interessantes:

Vêh 17 de jul de 2009 14:45:00  

Nossa Will! Ameeei! =D
Mas foi to curto! =(

Beijoos

http://sobrenomeamor.blogspot.com/

Taay 17 de jul de 2009 16:49:00  

MELDELS :O Eu to pasma, mas ela ñ deve deixar o Oliver pela felicidade de Bernard, Megan tem q ser feliz :D Como será q tudo ira acabar? Ou melhor, como será esse amor "impossivél" entre esse 2 ?



-Beijooos, e até mais !

CLEITON CAC 17 de jul de 2009 20:12:00  

Nossa a historia ta ficando cada vez melhor rss agora ficamos naquela de esperar pra ver se ele fala ou não com Bernard sobre isso, aiiii rsss escreve logo!!! Um abraço

Mimi 9 de set de 2009 09:02:00  

pasma!!!adorando e matando a saudades!
vidinha corrida de trabalhadora/universitaria/voluntaria/namorada ta me matando! hehe mas eu amo!!

PS: Michael Pitt?? adoroooo!

Postar um comentário

Eu que fiz, não gostou? Quebraeu!

About This Blog

Blog Archive

  © Blogger template Webnolia by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP